Todos os posts de admin

Procurando imóvel comercial? A 2000 te ajuda!

Se escolher um imóvel residencial já é um processo complexo e trabalhoso, imagine o trabalho que dá escolher o lugar para instalar uma empresa. Além dos cuidados normais na procura de qualquer imóvel, a busca por um endereço para o seu negócio demanda uma série de outras preocupações. Confira a seguir algumas dicas de especialistas que podem tornar a procura mais tranquila.

“O primeiro passo é saber qual é sua necessidade operacional e buscar somente aqueles imóveis que atendem a necessidade da empresa”, aconselha Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da associação de consumidores Proteste. De nada adianta oferecer o produto certo, com preço competitivo e uma estratégia de promoção correta se o lugar for inadequado para seu negócio. Por isso, Maria Inês é enfática: “É preciso pesquisar”.

Alguns critérios de seleção são os mesmo que se aplicam a um imóvel residencial: é preciso levar em conta a localização, as características da vizinhança, se o local é atendido por serviços, como os de água, luz, esgoto e telefone. Outras preocupações são específicas para imóveis comerciais: deve-se avaliar a capacidade do local de alojar seu negócio, se o acesso é fácil, se tem estacionamento para veículos, se conta com área para carga e descarga de mercadorias e se é bem atendido por transporte coletivo.

O Sebrae-SP propõe uma fórmula simples para avaliar um local: levar em conta os 4Ps – ponto (localização), preço, produto e promoção – expressão originária do mundo do marketing. Além de analisar esses quesitos, Maria Inês acrescenta que é importante olhar vários imóveis na região escolhida e visitá-los em horários diferentes (manhã, tarde e noite) para saber como é o local que pretende alugar.

Se o imóvel for abrigar um estabelecimento comercial, é preciso levar em considerações alguns fatores adicionais. O Sebrae-SP lembra que é preciso analisar se o produto ou serviço que será comercializado é compatível com o poder aquisitivo da população que vive ou trabalha na região, se o ponto tem boa visibilidade, se a região é movimentada e o que há no entorno do imóvel: há empresas de outros ramos que complementam o seu mix de produto? Existem empresas de outros nichos que atraem o mesmo tipo de público que sua empresa? Como é a concorrência ao redor? Se o ponto estiver dentro de um centro comercial, leve em conta o valor do aluguel somando a quantia destinada ao condomínio, fundo de propaganda, luvas (taxa de ponto), etc.

Batendo o martelo

Depois de pesquisar muito e identificar os imóveis que melhor atendem às suas necessidades, é o momento de responder algumas perguntas para decidir qual é a melhor opção: o imóvel tem o tamanho adequado? O valor do aluguel é compatível com o valor cobrado? Possui as instalações que sua empresa precisa? Necessita de reforma? Tem estacionamento? E, finalmente, quais são os pontos fortes e fracos do local?

É importante sempre calcular os custos. Se o valor do aluguel pesar muito sobre os custos da empresa é melhor procurar um lugar mais acessível. “Verifique o custo-benefício, se os gastos serão cobertos e se o local vai dar o lucro que se deseja”, aconselha Maria Inês. Para facilitar a tarefa de comparar os imóveis visitados, o Sebrae-SP recomenda montar uma planilha e anotar como cada um se sai nos seguintes quesitos: acesso, avaliação do mercado, avaliação da população ao redor, avaliação do imóvel, avaliação da concorrência.

fonte: www.terra.com.br

Pensa em construir ou reformar? Confira as dicas.

O sonho de muita gente é ter a casa própria. Mas, com os preços exorbitantes pedidos atualmente pelo mercado para a venda de imóveis novos e usados, a alternativa que muitos encontraram foi a construção e reforma.

O problema é que mesmo até nesta hora os preços assustam. Só que existem formas de economizar com arquitetura e decoração interiores. Acompanhe o texto a seguir e saiba mais!

1 Escolhendo materiais alternativos para construção de sua casa

No Brasil, cultivou-se, por muito tempo, a ideia de que as melhores construções eram aquelas erguidas em tijolo e concreto.

Porém, com a expansão da internet e a comunicação via redes sociais, não só arquitetos como também civis tiveram acesso a mais informações e passaram a se interessar mais por outros modelos construtivos. Hoje, muita gente defende o resgate de técnicas tradicionais, assim como a adoção e novas.

Existem várias empresas no mercado especializadas em oferecer soluções mais em conta para moradias. Algumas oferecem planos onde é incluído não só o valor total dos materiais, como também dos equipamento e da mão-de-obra. Há exemplos de edificações sendo montadas em peças pré-fabricadas nos mais diferentes materiais, como madeira e plástico; ou em blocos, como é o caso das casas feitas a partir de containers navais reciclados.

2 Optando por interiores mais abertos e integrados

Algo que também diminui o custo das construções é prever espaços internos mais abertos, ou seja, com menos panos fechados de paredes. O conceito de ‘espaços integrados’ está muito em voga atualmente.

Nos Estados Unidos, é comum, já há bastante tempo, a ideia de montar área de preparo dos alimentos, estar e jantar num único espaço. Mas, os brasileiros só adotaram essa prática mais recentemente.

Não é a toa que muitos empreendimentos no Brasil oferecem, em propaganda, imóveis com a tal “cozinha americana”. Isso tem muito a ver com uma planta mais aberta – onde é feito, justamente, esta integração entre cozinha e sala.

Mas, também há outras conexões espaciais que se pode fazer. Por exemplo, sala e varanda, sala e quarto, sala e office, e cozinha e área de serviço. Esta decisão ficará por conta do projetista!

3 Deixando os materiais das estruturas aparentes

Um dos detalhes arquitetônicos mais significativos listados no orçamento de uma obra são os acabamentos. Revestir paredes, piso e teto pode encarecer demais o valor da construção de uma moradia.

Algo que a pessoa pode fazer para diminuir este custo é deixar os materiais utilizados para erguer as estruturas aparente. Fica bonito expor “ao natural” superfícies metálicas, em madeira, cimento, tijolo de barro, e mais.

Essa medida pode, sim, ser adotada com o intuito de deixar a construção de uma casa mais barata. Mas, há outras razões por trás do por que muitas pessoas preferem adotar tal estratégia estética.

Em parte, tem a ver com tentar expressar um estilo mais despojado, descontraído; ou seja, mais limpo, sem tantos detalhes. Isso “casa” com decorações urbanas modernas – do tipo clean, industrial ou outra.

4 Construindo o próprio mobiliário

Então, conseguiu-se poupar na construção e nos acabamentos das estruturas de uma casa. Na fase seguinte, tem-se a ambientação – o que, aliás, é uma etapa muito importante, já que não se consegue aproveitar bem os ambientes sem que estes estejam minimamente mobiliados.

Acontece que é possível criar lindas peças de design de uma forma muito simples e criativa!

Também nesta área profissional, a de projetos mobiliários, existem muitos movimentos artísticos que defendem a utilização de materiais alternativos. O ‘upcycle’, por exemplo, seria uma maneira diferente de reutilização de elementos.

Certos itens que seriam descartados e até destinados aos lixões, supostamente, ganhariam uma nova chance, sendo transformados em algo com mais qualidade e valor ambiental.

Fazendo uma pesquisa rápida na internet, é possível conferir vários exemplos inteligentes de economia com ambientações de interiores. Em alguns casos, se fez a repaginação e o reuso de objetos antigos.

Também se improvisou com restos de obras, como pallets e blocos de concreto. E também se moldou peças personalizadas – como é o caso das bancadas feitas em cimento com vidro.

5 Reaproveitando materiais para personalizar a decoração

Por fim, é possível gastar menos com a personalização da decoração.

Arquitetos e designers têm apresentado ótimas ideias quanto a “como enriquecer as propostas sem gastar muito”.

Fonte: https://financaspessoais.organizze.com.br

Vai redecorar o quarto do seu filho ou filha?

A decoração de quarto infantil é um do momentos mais divertidos quando vamos planejar ou repaginar a nossa casa. Dependendo da idade dos seus filhos eles podem, inclusive, ajudar a escolher temas, móveis e acessórios.

A tarefa pode ser bastante complicada, tanto para o quarto de menino quanto para o quarto de menina, mas não deixa de ser recompensadora, veja algumas dicas que separamos para te ajudar na hora de planejar uma decoração de quarto infantil.

“O quarto deve refletir o mundo da criança, ser seu cantinho e ,ao mesmo tempo, um lugar organizado que facilite a vida da mamãe na hora da arrumação.”Ana Lúcia Adriano, designer de interiores.

1. Descubra os gostos e sonhos de seus filhos:

O gosto das crianças deve ser levado em consideração, afinal são eles que vão dormir, brincar e passar a maior parte do tempo no cômodo, cuidado apenas com os exageros nos pedidos dos pequenos.

2. Coloque uma mesa de estudos ou atividades:

A decoração de quarto infantil deve conter esse espaço para a criança ganhar o hábito de estudar ou desenhar, por exemplo, em um lugar adequado. E, para ter tudo no seu lugar, você pode também usar bancada para quarto ou prateleiras para quarto.

Você também pode colocar um closet para complementar a decoração e organizar o quarto das crianças.

Em muitos projetos a beliche com escrivaninha para quarto de criança é a solução ideal para otimizar o espaço.

3. Dê bastante atenção para a iluminação:

Não obstrua a janela com móveis ou cortinas para quarto que sejam pesadas, invista em uma iluminação para a mesa e em uma iluminação indireta também. Isso é importante desde o quarto de bebê.

4. Use as cores preferidas das crianças:

Meninos tendem escolher azul e meninas o rosa, mas apresente outra opções de cores. Só evite cores muito vibrantes, pois deixam a criança mais agitada.

5. Crie um mundo especial no quarto infantil:

Coloque coisas no quarto infantil que estimulem a criatividade e o interesse das crianças.  Mapas, tinta lousa na parede, luminárias, além dos brinquedos são ótimos para isso.

6. Deixe os brinquedos e livros no alcance da criança:

A técnica do quarto montessoriano vem sido bastante usada. Ela consiste em deixar um ambiente estimulante, que favorece a expressão de suas capacidades através do aprendizado com suas próprias experiências. O estilo do quarto montessoriano pode ser uma boa inspiração, principalmente se quiser incentivar a independência do seu pequeno.

7. Fique atento à segurança:

Quanto menor for seu filho, mais detalhada deve ser a sua vistoria de segurança. Nada de peças pontudas, de materiais que possam machucar e principalmente nada de pecinhas desmontareis que possam ser engolidas. Aposte em almofadas decorativas para complementar a decoração do quarto e, se possível, invista em um guarda-roupa planejado.

Fonte: www.vivadecora.com.br

Vai alugar um imóvel? Confira nossas dicas

Você decidiu que é hora de alugar um imóvel, mas, não pense que escolher o lugar certo para morar é tarefa fácil. Confira algumas dicas para a escolha de imóvel ideal para você!

1. Escolha bem a localização

Vários fatores devem ser considerados na hora de escolher a localização. Confira a existência de opções de transporte nos arredores e a proximidade de supermercados, farmácias, padarias etc. Escolha um lugar que facilite o trajeto até o trabalho ou a escola dos filhos. Se morar em um local muito distante, você pode acabar tendo mais gastos com transporte e perder tempo demais no trânsito.

2. Informe-se sobre a vizinhança e a segurança

Pesquise se o local onde pretende morar é seguro, se a vizinhança é tranquila ou muito barulhenta. Isso será essencial para o seu bem-estar. De que adianta viver em um lugar lindo, mas onde sempre há barulho até tarde da noite ou assaltos com frequência?

3. Visite o local mais de uma vez

Para se certificar de que está fazendo a escolha certa, visite o imóvel mais de uma vez. Se possível, faça uma das visitas durante o dia, pois assim fica mais fácil verificar se há problemas no imóvel e também se o local tem boa iluminação natural. Veja se há umidade dentro de armários e confira o estado da pintura em todos os cômodos.

4. Dê preferência para imóveis mais novos

Se você escolher imóveis construídos há, no máximo, 10 anos, o risco de ocorrência de problemas estruturais diminui bastante. Há menos chances de você ser pega de surpresa e ter que enfrentar uma reforma.

Fonte: texto adaptado de financaspessoais.organizze.com.br

10 anos de Gols pela Vida

Este ano é muito especial, ano em que o Hospital Pequeno Príncipe comemora 100 anos e a parceria da Imobiliária 2000 com a instituição também está de aniversário. Há 10 anos atrás iniciamos parceria com o Programa Gols pela vida criado pelo Hospital Pequeno Príncipe que reverte todas as doações recebidas para o Instituto Pelé Pequeno Príncipe.

O Programa tem como maior apoiador o jogador Pelé, Rei do Futebol, e as pesquisas realizadas pelo Instituto tem como objetivo desenvolver tecnologias para a ampliação a capacidade de diagnóstico e de tratamentos assim como a busca pela a cura de doenças complexas em crianças e adolescentes.

A Imobiliária 2000 fica orgulhosa de fazer parte da história deste projeto há 10 anos e contribuir para o avanço das pesquisas que buscam a cura de doenças e ajudam milhares de crianças e adolescentes do mundo todo.

Vai construir? Confira estas dicas

O sucesso de uma construção está atrelado a um bom planejamento.

Infelizmente muitas pessoas podem achar que é perda de tempo e querem partir logo para a ação. Entretanto, já vi que você não é diferente e se está aqui é por que quer fazer as coisas da melhor forma possível, correto?

Essa etapa inicial de planejamento é fundamental para evitar erros durante a construção, gastos desnecessários, atrasos de entrega da obra e outros problemas que podem te tirar o sossego.

É por isso que separamos 5 dicas de como planejar uma obra. Entenda antes como funciona um planejamento e tenha sucesso na construção do seu sonho!

1. Defina um orçamento

O dinheiro é um dos maiores obstáculos e pode ser a peça mais complexa de uma obra. Ao mesmo tempo que ele permite construir tudo que você imagina, a falta de dinheiro pode resultar em uma obra parada por anos.

Então, comece agora a pensar em quanto você pode gastar e faça uma estimativa de quanto a construção custará. Pode ser que você queira fazer um empréstimo para a construção, por isso é sempre bom se planejar financeiramente para isso.

Além de saber os custos aproximados, esse orçamento ajudará a iniciar uma construção que levará em consideração o saldo disponível.

É importante você saber que, um engenheiro ou arquiteto podem te auxiliar no quesito orçamento, esses profissionais possuem experiência com levantamentos de custo e além disso, eles poderão te orientar se o que você pretendo fazer é viável com a verba disponível.

2. Selecione cuidadosamente os profissionais

Antes de contratar os profissionais que vão projetar e executar a sua obra, você precisa buscar referências. Conheça seus trabalhos anteriores, procure saber a opinião dos antigos clientes e veja se eles ficaram satisfeitos com o trabalho.

Nesse momento, o preço não deve ser a única métrica para tomada de decisão. Aquela história de que o barato sai caro faz todo o sentido aqui. Um profissional desqualificado pode prejudicar gravemente a sua obra te deixando de cabeça quente.

A nossa dica é contratar um arquiteto ou engenheiro para oferecer ajuda na hora de planejar sua obra e indicar quais serão os outros profissionais que você precisará contratar.

3. Faça cotação de materiais de construção

Você não precisa pegar a lista de materiais de construção e comprar tudo de uma vez na primeira empresa que encontrar. O planejamento de obras serve justamente para otimizar e programar seus gastos.

Separe um momento para fazer a cotação dos materiais em pelo menos três estabelecimentos. Assim, você consegue comparar os preços e decidir onde é melhor comprar.

Aqui vale a mesma dica para a contratação de profissionais: não leve apenas o preço em consideração. Certifique-se de incluir materiais de qualidade em sua construção, principalmente peças de acabamento, que ficam mais expostas.

4. Tenha um cronograma

Criar um cronograma é uma das partes mais importantes no planejamento e gerenciamento de construção.

Um cronograma bem feito ajuda a minimizar o tempo de inatividade na obra e garante que todas as partes do projeto sejam concluídas no prazo e dentro do orçamento.

Geralmente, os cronogramas de construção se concentram na divisão das etapas (fundação, alvenaria, laje e telhado, elétrica e hidráulica, acabamento), o tempo de duração de cada atividade e quem será o responsável por realizar cada uma delas.

5. Não se esqueça da documentação

Antes de começar a executar o projeto, é preciso se preocupar com as obrigações jurídicas. Essa etapa do planejamento de obras vai garantir que o seu projeto seja formalizado e a sua construção aprovada pelos órgãos públicos.

Entre a documentação que você precisa providenciar para começar uma obra estão as licenças e alvará da obra. A relação completa de documentos varia para cada município, portanto você precisa consultar o setor responsável na prefeitura da sua cidade.

Não se esqueça que toda parte burocrática também inclui gastos com taxas e prazos para a emissão dos documentos. Então, planeje-se para isso.

O tempo que você vai gastar fazendo o planejamento de uma obra, pesquisando, analisando materiais e ideias, vai ajudar a economizar dinheiro e problemas futuros. É melhor levar mais tempo antes de começar a construção do que ter pressa e se arrepender, concorda?

Fonte: http://entendaantes.com.br – texto adaptado

    1 2 5